27 Jul 2016

Documentários: os últimos assistidos

Férias acabando e, se tem uma coisa que posso dizer que fiz muito foi assistir seriados, documentários e filmes (aposto que pensaram outra coisa né, suas bonita!). Foram dois meses dedicados quase que exclusivamente a Netflix, então preparem-se para muitos posts sobre o tema! :)

ultimos-docs Making a Murderer (Original Netflix, 2015)

Steven Avery é um morador de uma pequena e pacata cidade dos EUA que é mandado para a prisão sob circunstância um tanto duvidosas. Dezoito anos após ele é inocentado graças a um exame de DNA e, logo em seguida, acusado de assassinato em circunstâncias igualmente questionáveis. Filmado ao longo de dez anos, você acompanha uma trama terrível e que te faz repensar em todo o sistema jurídico, político e midiático, bem como seu impacto na vida das pessoas. Veja o trailer.


Blackfish (dir. Gabriela Cowperthwaite, 2013)

Por trás dos renomados Sea Worlds existe um mundo cruel. A personagem principal deste documentário é a baleia orca Tilikum, responsável pela morte de três pessoas, incluindo sua treinadora Dawn Brancheau. É possível ver como funciona a captura das orcas – muitas vezes retiradas de sua família ainda bebês – até o aquário gigante que elas vivem. Impossível não chorar com tamanha barbaridade. Veja o trailer.


What Happened, Miss Simone? (dir. Liz Garbus, 2015)

A vida e o legado da brilhante Nina Simone é o tema central desde documentário. Da sua infância até o auge da sua fama, seus problemas familiares e a sua luta por Direitos Civis para os negros norte-americanos, é possível acompanhar toda força, dor e fraquezas de uma das mais incríveis cantoras de jazz. O documentário é um retrato de toda a sua vida, como bem como a sua paixão por mudança. Veja o trailer.


Amy (dir. Asif Kapadia, 2015)

Esse é um testemunho comovente da história de Amy Winehouse. Um retrato incrível e dramático sobre sua carreira, maus relacionamentos e o impacto das drogas na vida da cantora. O documentário mostra dois lados da Amy: divertida, carinhosa e alegre — antes de seus problemas de saúde começarem. Ao final, percebemos o quão nocivos à saúde certos relacionamentos podem ser, seja familiar ou amoroso. Veja o trailer.


Zeitgeist: Addendum (dir. Peter Joseph, 2008)

E se nós descobríssemos que todas as instituições existentes são corruptas e nocivas para a humanidade porque a sociedade é baseada em uma economia de escassez com base no uso do dinheiro? Dos bancos que compões o Sistema de Reserva Federal, a CIA, as grandes corporações, governos e até mesmos religiões? E que nossa vida é baseada em mentiras e geridas por um grupo de pessoas? Veja o trailer.


Fed Up (dir. Stephanie Soechtig, 2014)

Abordando a questão do consumo exagerado do açúcar e a epidemia de obesidade infantil, o documentário retrata o impacto que a junção da política e a indústria alimentícia causa na saúde americana e desmascara mitos sobre alimentação. O mais interessante são as questões levantadas, como o ganho de peso também ser resultado natural de políticas públicas frouxas e da indústria de alimentos, que se aproveita da alta palatabilidade de produtos cheios de açúcares, sal e gorduras. Veja o trailer.

E vocês, o que têm assistido? Deixem suas dicas nos comentários. <3

22 Apr 2016

2 anos de muitas Bernardices!

O dia 31 de março de 2014 foi uma dia que marcou nossas vidas. Nossa família cresceu e ficou mais alegre. A casa nunca mais ficou arrumada e silêncio passou a ser algo entristecedor. Nem nos meus sonhos mais malucos imaginaria que eu pudesse ter uma família tão linda e tão feliz assim. Linda porque não falta amor, carinho e respeito; feliz porque, bom, é o resultado das coisas que cultivamos ao longo dos anos.

Esse foi o segundo aniversário do Bernardo – o primeiro longe da família -, então minha mãe veio passar uns dias aqui para matar a saudade e acabamos fazendo um piquenique lá no Jardim Botânico de SP para comemorarmos a data. Como vocês sabem, nós amamos as coisinhas simples e regadas de amor!

IMG_3031 bern-2anos IMG_7365 IMG_7345 IMG_7369 IMG_2818 IMG_2795 IMG_2774 IMG_2808 IMG_3345 IMG_7432 // youtubetwitter facebook | instagram | snapchat {fliberada}

31 Jan 2016

Aos poucos a vida vai se ajeitando

Sempre sofri com imediatismos. Lembro bem de querer realizar todos os meus sonhos com urgência, de passar noites acordadas porque a ansiedade era tanta, que fechar os olhos e descansar era impossível. E lembro também de sofrer muito com todas essas expectativas não correspondidas. Por que eu não posso ter tudo o que eu quero?

A vida A resposta pra essa pergunta é bem simples, mas bem difícil de aprender. Ouvi por anos meus pais falando “você precisa ter calma”, mas na minha cabeça de adolescente “calma” era todo o momento que eu esperava até conseguir algo. Se eu tivesse que esperar uma semana até a próxima viagem, esse período seria essa tal calma. Soa meio idiota quando dito em voz alta, né? Muitas vezes eu cheguei a chorar até soluçar, achando que todos os meus sonhos eram coisas impossíveis e que eu nunca, nunquinha conseguiria sequer realizar uma pequena parcela deles.

Mas aí eu engravidei e a partir daí fui enxergando o realmente a palavra significava. “Calma” não se trata de tempo de espera, mas sim de serenidade. É como você se enxerga, enxerga o mundo e consegue viver nesse equilíbrio, sabendo que existem coisas e forças que você simplesmente não pode alterar. Foi libertador ter entendido isso e desde então tirei um peso das coisas. Passei a ter uma vida mais leve — e mentalmente saudável.

Pode parecer coincidência, mas depois de parar de me cobrar tanto aos poucos a vida foi se ajeitando. Eu olho para trás e vejo quantas coisas maravilhosas têm acontecido na minha vida, na quantidade de pessoas incríveis eu conheci nos últimos tempos, nos sonhos se realizando e penso em todo o sofrimento desnecessário que passei. É claro que ainda tenho metas que quero cumprir e que a bunda não tá colada no sofá, mas toda aquele pessimismo ficou lá pra trásHoje acredito que nós somos produto daquilo que acreditamos, quando a gente passa a confiar mais no nosso potencial, coisas incríveis acontecem.

Esse texto existe como uma forma de lembrete nos momentos de impaciência, mas também como uma reflexão. Por quantas coisas esse excesso de imediatismo tem te feito sofrer?

// youtubetwitter facebook | instagram | snapchat {fliberada}