29 Jul 2016

Um novo vício chamado K-POP

Esse post é dedicado para você, assim como eu, resolveu parar de negar as aparências e disfarçar as evidências se entregou completamente a certo gênero musical. O meu atende pelo nome Korean Pop, ou popularmente conhecido como K-Pop. É claro que, como todo preconceito bobo, me faltava conhecimento sobre o tema e um olhar menos generalizador da cultura do oriente, mea culpa.

kpop Tenho pra mim que o K-Pop realmente se popularizou por aqui com o estouro do Gangnam Style, que você já deve ter ouvi em exaustão — mesmo contra sua vontade. Mas calma! Existe uma variedade enorme de ritmos e estilos muitos diferentes. Além disso, existe uma super produção que vai dos videoclipes até os figurinos usados nos shows. E não é só isso: as coreografias são ótimas e fazem você querer dançar também. Impossível não ter nenhum pinguinho de vontade de dançar!

“O Termo K-Pop surgiu nos anos 90 e vêm da Coreia do Sul. E se você pensa que são aquelas músicas orientais de tradições milenares, está enganado! O K-Pop conta com a mistura de vários ritmos como o R&B, Rock e Pop Bubblegum (mistura de pop e Soul, como eram os Jackson 5). Consiste basicamente em músicas dançantes, clipes cheios de coreografias e artistas com um visual super produzido”. Saiba mais.

E vocês, já conheciam o K-Pop? Deixem sugestões de músicas nos comentários. :)

27 Jul 2016

Documentários: os últimos assistidos

Férias acabando e, se tem uma coisa que posso dizer que fiz muito foi assistir seriados, documentários e filmes (aposto que pensaram outra coisa né, suas bonita!). Foram dois meses dedicados quase que exclusivamente a Netflix, então preparem-se para muitos posts sobre o tema! :)

ultimos-docs Making a Murderer (Original Netflix, 2015)

Steven Avery é um morador de uma pequena e pacata cidade dos EUA que é mandado para a prisão sob circunstância um tanto duvidosas. Dezoito anos após ele é inocentado graças a um exame de DNA e, logo em seguida, acusado de assassinato em circunstâncias igualmente questionáveis. Filmado ao longo de dez anos, você acompanha uma trama terrível e que te faz repensar em todo o sistema jurídico, político e midiático, bem como seu impacto na vida das pessoas. Veja o trailer.


Blackfish (dir. Gabriela Cowperthwaite, 2013)

Por trás dos renomados Sea Worlds existe um mundo cruel. A personagem principal deste documentário é a baleia orca Tilikum, responsável pela morte de três pessoas, incluindo sua treinadora Dawn Brancheau. É possível ver como funciona a captura das orcas – muitas vezes retiradas de sua família ainda bebês – até o aquário gigante que elas vivem. Impossível não chorar com tamanha barbaridade. Veja o trailer.


What Happened, Miss Simone? (dir. Liz Garbus, 2015)

A vida e o legado da brilhante Nina Simone é o tema central desde documentário. Da sua infância até o auge da sua fama, seus problemas familiares e a sua luta por Direitos Civis para os negros norte-americanos, é possível acompanhar toda força, dor e fraquezas de uma das mais incríveis cantoras de jazz. O documentário é um retrato de toda a sua vida, como bem como a sua paixão por mudança. Veja o trailer.


Amy (dir. Asif Kapadia, 2015)

Esse é um testemunho comovente da história de Amy Winehouse. Um retrato incrível e dramático sobre sua carreira, maus relacionamentos e o impacto das drogas na vida da cantora. O documentário mostra dois lados da Amy: divertida, carinhosa e alegre — antes de seus problemas de saúde começarem. Ao final, percebemos o quão nocivos à saúde certos relacionamentos podem ser, seja familiar ou amoroso. Veja o trailer.


Zeitgeist: Addendum (dir. Peter Joseph, 2008)

E se nós descobríssemos que todas as instituições existentes são corruptas e nocivas para a humanidade porque a sociedade é baseada em uma economia de escassez com base no uso do dinheiro? Dos bancos que compões o Sistema de Reserva Federal, a CIA, as grandes corporações, governos e até mesmos religiões? E que nossa vida é baseada em mentiras e geridas por um grupo de pessoas? Veja o trailer.


Fed Up (dir. Stephanie Soechtig, 2014)

Abordando a questão do consumo exagerado do açúcar e a epidemia de obesidade infantil, o documentário retrata o impacto que a junção da política e a indústria alimentícia causa na saúde americana e desmascara mitos sobre alimentação. O mais interessante são as questões levantadas, como o ganho de peso também ser resultado natural de políticas públicas frouxas e da indústria de alimentos, que se aproveita da alta palatabilidade de produtos cheios de açúcares, sal e gorduras. Veja o trailer.

E vocês, o que têm assistido? Mandem suas dicas nos comentários! <3

22 Apr 2016

2 anos de muitas Bernardices!

O dia 31 de março de 2014 foi uma dia que marcou nossas vidas. Nossa família cresceu e ficou mais alegre. A casa nunca mais ficou arrumada e silêncio passou a ser algo entristecedor. Nem nos meus sonhos mais malucos imaginaria que eu pudesse ter uma família tão linda e tão feliz assim. Linda porque não falta amor, carinho e respeito; feliz porque, bom, é o resultado das coisas que cultivamos ao longo dos anos.

Esse foi o segundo aniversário do Bernardo – o primeiro longe da família -, então minha mãe veio passar uns dias aqui para matar a saudade e acabamos fazendo um piquenique lá no Jardim Botânico de SP para comemorarmos a data. Como vocês sabem, nós amamos as coisinhas simples e regadas de amor!

IMG_3031 bern-2anos IMG_7365 IMG_7345 IMG_7369 IMG_2818 IMG_2795 IMG_2774 IMG_2808 IMG_3345 IMG_7432 // youtubetwitter facebook | instagram | snapchat {fliberada}